Parem o ataque dos peixes Frankenstein

Para Margaret A. Hamburg, Encarregada da Administração de Alimentos e Medicamentos:

Enquanto consumidores globais, pedimos que não aprove o salmão transgênico produzido pela AquaBounty para o consumo humano. Peixes modificados geneticamente são uma ameaça real para as espécies naturais marinhas e não há estudos suficientes sobre os efeitos a longo prazo causados pelo consumo de carne transgênica. Pior ainda, a aprovação do salmão transgênico pela FDA pode abrir as comportas para os animais modificados geneticamente ao redor do mundo. Pedimos que rejeite essa aprovação.
 
Já participa da Avaaz? Basta digitar seu email:
Primeira vez? Por favor preencha o formulário:
Avaaz.org vai proteger sua privacidade e lhe manter atualizado sobre essa e outras campanhas semelhantes.

Postado:  17 Janeiro 2013
Os EUA estão prestes a servir a primeira carne modificada geneticamente do mundo: um salmão mutante que pode devastar as populações de salmão selvagens e ameaçar a saúde humana. Mas podemos impedí-los agora antes que esse estranho peixe Frankenstein apareça em nossos pratos de comida.

O novo salmão falso cresce duas vezes mais rápido que o original, e nem mesmo os cientistas sabem os efeitos a longo prazo que ele pode causar à saúde. Ainda assim, esse alimento está prestes a ser declarado seguro para consumo, baseado em estudos pagos pelas empresas que criaram a própria criatura modificada geneticamente! Felizmente, os EUA são obrigados legalmente a considerar a opinião pública antes de tomarem uma decisão. Uma crescente coalizão de consumidores, ambientalistas e pescadores estão pedindo ao governo que abandone esse plano mal-cheiroso. Vamos urgentemente criar uma avalanche de apoio global para ajudá-los a vencer essa causa.

A consulta está acontecendo agora e temos uma chance real de manter o peixe mutante fora do cardápio. Assine para impedir a criação do peixe Frankenstein e compartilhe amplamente -- quando alcançarmos 1 milhão de assinaturas, nosso clamor será enviado oficialmente à consulta pública.

Compartilhe nas redes

Clique para copiar: