O poder popular em movimento!

Vamos ser amigos

#9 Ajudando a limpar a política no Brasil

Desde 2010

Os brasileiros estão dando um basta à corrupção, e a Avaaz vem desempenhando um papel fundamental para começar a limpar a política do país.

Primeiro em 2010, com a extremamente bem-sucedida campanha da Ficha Limpa para impedir políticos condenados pela Justiça de concorrer às eleições. Muitos disseram que a lei jamais seria aprovada. Mas nós mergulhamos de cabeça, com uma petição gigantesca de mais de 2 milhões de assinaturas, centenas de telefonemas e argumentação face a face com parlamentares. Muitos políticos lutaram contra a aprovação da medida, mas a voz do povo prevaleceu e mais de 330 candidatos foram impedidos de concorrer por conta de sua conduta imoral!

Já em 2015, depois de 18 meses de campanha, tivemos uma vitória considerável quando as doações de empresas para campanhas eleitorais foram declaradas inconstitucionais! Convocamos nossos membros a manter a campanha presente nas ruas e nas redes sociais – a estratégia incluía uma ameaça de processo no Supremo Tribunal Federal e uma enxurrada de mensagens aos ministros pedindo o fim das eleições compradas – e vencemos!

“A Avaaz é uma ótima ferramenta para os cidadãos expressarem suas opiniões e interesses. A Avaaz desempenhou um papel importante ao pressionar os parlamentares a avançarem na discussão do projeto, fazendo com que o texto inicial fosse aprovado nas comissões e, agora, votado em plenário.”

Senador Sérgio Souza

2015

42

milhões

de membros

#1 Protegendo a Sierra del Divisor

Novembro de 2015

Após 20 anos de luta dos grupos indígenas e comunidades locais para proteger esse pedaço raro de mata atlântica, nossa comunidade foi convidada a unir forças no momento final e dar repercussão global para o caso.

Poucos dias após entregarmos as assinaturas da petição pedindo que o primeiro-ministro do Peru assinasse um decreto de proteção da área de floresta em questão, junto às milhares de mensagens pelo Twitter e no mural do Facebook do ministro, as autoridades peruanas transformaram a #SierraDelDivisor em um parque nacional!

O ministro de meio ambiente do Peru, Manuel Pulgar Vidal, sublinhou a importância das "vozes de mais de um milhão de cidadãos do Peru e do resto do mundo que apoiaram o governo". Agora essa floresta e as espécies extraordinárias que a habitam estão sob proteção.

"A participação da sociedade civil no Peru e no restante do mundo finalmente produziu resultados. Em particular, gostaria de agradecer à Avaaz. Hoje a sociedade civil, governo, empresas e comunidades trabalharão juntos para construir um plano abrangente para a Sierra del Divisor."

Mariano Guillermo Castro Sánchez-Moreno - Vice-ministro de Meio Ambiente do Peru

#1 Abrindo nossos corações aos refugiados

Novembro de 2015

Quando uma onda de refugiados desesperados começaram a arriscar suas vidas no mar para alcançar a segurança da Europa, nossa comunidade entrou em ação. Primeiro, arrecadamos US$ 500 mil para financiar a Migrant Offshore Aid Station (MOAS), missão privada de resgate mais eficiente do Mediterrâneo, que já salvou mais de sete mil vidas este ano. Então lançamos uma missão de ajuda da própria Avaaz para levar suprimentos urgentes para as ilhas gregas, onde os refugiados chegam sem nada.

Depois, quando políticos diziam apenas que “nada pode ser feito”, mais de seis mil membros da Avaaz abriram seus braços, cheios de compaixão, ofereceram suas casas e se voluntariaram em programas de integração para refugiados em toda a Europa. Por último, nossa comunidade pressionou por mudanças nas políticas de migração em todo o mundo. Quando o pequeno Alan Kurdi tragicamente morreu afogado, levamos sua tia a Bruxelas para que ela mesma passasse sua mensagem e entregasse as assinaturas da nossa petição com mais de 1,2 milhão de assinaturas diretamente a líderes da União Europeia.

Nossas vozes foram ouvidas e, tanto na União Europeia quanto na Austrália e nos EUA, o número de refugiados que estão sendo acolhidos aumentou. A Europa adotou sua primeira política integrada de migração. A crise continua acontecendo, e mais ações são essenciais para garantir rotas de fuga seguras e lícitas, além de um refúgio para essas famílias desesperadas.

“Muito obrigado por essa linda iniciativa.”

Conselheiro-sênior de Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

#1 Um referendo inédito sobre uma plataforma de petróleo

Setembro de 2015

Os pessimistas diziam que nunca conseguiríamos convencer políticos italianos a desafiar o presidente Renzi a parar de perfurar poços de petróleo no litoral. Mesmo assim, em colaboração com o brilhante movimento “No Triv”, nossa comunidade fez com que seis presidentes regionais rejeitassem uma medida que autorizaria perfurações marítimas em toda a bela costa italiana. Milhares de assinaturas ajudaram a convencer dez conselhos regionais a garantir que as perfurações fossem submetidas ao crivo do povo: um referendo nacional. O primeiro do tipo na história do país!

“Obrigado a todas as organizações internacionais presentes aqui hoje. Sabemos que a luta contra perfurações marítimas não é uma luta local e isolada, mas algo muito maior que continuará em nossos mares e litorais.”

Michele Emiliano, presidente da região de Puglia

#1 Boas-vindas australianas aos refugiados

Setembro de 2015

A recusa descarada do ex-primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, em ajudar os refugiados, foi preocupante (para dizer o mínimo). Mas nossa comunidade na Austrália se recusou a entregar os pontos e, em questão de dias, ajudamos a reverter a posição do governo.

Foram diversas demonstrações de apoio: desde uma megapetição pedindo que um extra de 20 mil refugiados fossem aceitos em caráter emergencial, passando pela mobilização massiva da comunidade e diversas inserções do assunto na imprensa, até centenas de membros telefonando pessoalmente aos gabinetes durante os períodos decisivos.

Como resultado, a Austrália aceitou mais 12 mil refugiados vindos da Síria e do Iraque e contribuiu com US$ 44 milhões para a ACNUR, a agência de refugiados da ONU. A primeira família síria já chegou e começou uma nova vida.

#1 Escolas mais seguras na África do Sul

Setembro de 2015

Para um grande número de crianças na África do Sul, coisas terríveis podem acontecer em uma sala de aula. Quando uma estudante foi vítima de estupro coletivo dentro de uma escola, nossa comunidade se uniu para combater esse escândalo.

Nós exigimos reformas escolares de grande escala e, junto com outros grupos, iniciamos conversas com o Departamento de Educação sul-africano para alcançarmos as mudanças.

O objetivo será alcançado apenas quando todas as crianças estiverem em segurança, mas a ministra concordou em implementar todas as nossas sugestões e exigências, incluindo o treinamento dos professores sobre valores, cidadania e direitos humanos!

“Há grande apoio público para implementarmos as mudanças, como foi demonstrado pela petição online assinada por mais de 25 mil cidadãos. A prioridade do departamento é proporcionar um ambiente escolar que protege os alunos em tempo integral, e esses novos compromissos assumidos continuam o trabalho que já está sendo feito na área.”

Declaração da ministra de Educação Básica, Angie Motshekga

#1 O poder indígena na proteção da Amazônia!

Setembro de 2015

Cerca de um milhão de membros da Avaaz se juntaram ao pedido de criação do maior corredor ambiental do mundo, protegendo 135 milhões de hectares da floresta amazônica – do tamanho da França! Depois, 78 mil de nós contribuímos com doações para reforçar uma intensa campanha para conseguir o apoio dos governos do Brasil, Venezuela e Colômbia. O primeiro passo foi financiar o primeiro encontro entre 25 líderes indígenas dos três países, para alcançar um acordo sobre as estratégias nacionais e internacionais em defesa do corredor amazônico. Agora vamos trabalhar em conjunto com eles para conquistar essa reserva trinacional. Especialistas dizem que, se conseguirmos, será um marco para acabar com o desmatamento desenfreado.

#1 #NoNosCallarán (#NãoNosCalarão)

Agosto de 2015

A imprensa livre está sendo assassinada no México, mas nossa comunidade decidiu fazer soar o alarme e incitar as autoridades a tomar uma atitude.

Um mês após o assassinato de dois jornalistas bem conhecidos, o presidente Peña Nieto deu de cara com a primeira página do principal jornal diário do México. Nela, uma mensagem clara: “não nos calarão”, ou #NoNosCallarán. Junto à frase, uma carta assinada por 600 jornalistas de destaque do mundo todo.

Nossa ação causou uma reviravolta na imprensa quando jornalistas de veículos como Al Jazeera e ABC, na Austrália, além de lideranças do México, encheram Peña Nieto de mensagens no Twitter pedindo que algo fosse feito.

Ainda há muito o que fazer. Em média, seis jornalistas são atacados por semana no país. Entretanto, o impacto da nossa campanha foi incrível: tanto o procurador-geral da Cidade do México quanto o governador do estado de Veracruz foram obrigados a responder nossas demandas, e agora o mundo os observa.

“Eu carrego os nomes dos meus colegas que se foram sobre meus ombros. Suas vozes vivem na minha. Sem uma imprensa livre, não existe democracia, e é por isso que #NoNosCallarán”

Lydia Cacho, jornalista mexicana

#1 Recompensando os amigos fiéis na Índia

Agosto de 2015

O Exército indiano tem, de forma discreta, sacrificado seus cavalos e cachorros que estão muito velhos ou que não podem mais trabalhar – e isso mesmo depois de anos de lealdade e serviços prestados em situações perigosíssimas de combate. O Conselho pelo Bem-estar Animal do país assumiu a causa e pediu que os cidadãos pressionassem o ministro da Defesa para reabilitar esses amigos fiéis.

Milhares de membros da Avaaz assinaram a petição e, ainda mais importante, muitos escreveram diretamente ao ministro, inclusive oferecendo-se para adotar os cachorros aposentados. Dentro de semanas, o Exército indiano pediu ao Conselho pelo Bem-estar Animal que elaborasse um plano de reabilitação, o ministro da Defesa providenciou o financiamento necessário e anunciou oficialmente o final da política brutal da “eutanásia humanitária”!

“Para aqueles que se deram ao trabalho de escrever esses e-mails ao governo, além de assinar a petição, nosso muito obrigado, do fundo do coração.”

Dr. Chinny Krishna, vice-presidente do Conselho de Bem-estar Animal da Índia

#1 O G7 diz adeus aos combustíveis fósseis, para sempre

Julho de 2015

O G7, grupo que reúne sete dos países mais poluidores do mundo, estabeleceu pela primeira vez uma meta a longo prazo para se livrar completamente dos combustíveis fósseis!

A chanceler alemã, Angela Merkel, pressionou até o último momento para convencer os governos do Canadá e do Japão, que estavam relutantes, a aceitar o acordo. Nós fomos a força motriz para que isso acontecesse: seguimos Merkel nos principais eventos a que ela compareceu, vestidos de super-heróis, pedindo que ela se tornasse uma heroína do clima. E ela nos notou.

A pedido da própria chanceler, nos reunimos com seu principal conselheiro sobre questões ambientais e entregamos a ele nossa petição com mais de 2,7 milhões de assinaturas pedindo por energia 100% limpa. Depois disso, publicamos um anúncio no jornal Financial Times apoiando Merkel contra os opositores e produzimos um vídeo que foi visto no Canadá mais de 500 mil vezes em apenas três dias! O acordo alcançado foi o primeiro passo antes da decisiva conferência de Paris em dezembro.

#1 Esperança para a Grécia

Junho de 2015

Quando Tsipras, o recém-eleito primeiro-ministro grego, visitou Angela Merkel, a chanceler alemã, nossa petição para reparar as relações entre os países e garantir apoio contra a crise na Grécia foi entregue com um beijo.

Na verdade, um “beijaço”, bem em frente ao prédio onde os dois líderes se encontraram. Casais greco-alemães se beijavam animadamente e cerca de 200 pessoas se abraçavam e dançavam em volta deles. Nossa ação esteve em toda a imprensa, na Europa e fora dela. Até Tsipras tuitou sobre isso, reconhecendo que a manifestação lhe deu forças.

A campanha foi retomada durante o referendo grego, quando convidamos economistas renomados como Thomas Piketty, Jeffrey Sachs, Heiner Flassbeck, Dani Rodrik e Simon Wren-Lewis para assinar uma carta aberta em que pediam uma redução da dívida grega. A carta foi assunto de manchetes no mundo todo e mais de 5 mil artigos na imprensa, o que acabou transformando o debate na Alemanha.

#1 Usar um vestido não é crime

Junho de 2015

No Marrocos, duas mulheres foram atacadas e levadas a julgamento porque estavam usando vestidos. Uma participante da comunidade Avaaz, indignada, iniciou uma petição e em questão de semanas seu pedido por proteção ao direito das mulheres de fazerem suas próprias escolhas alcançou quase 30 mil assinaturas.

A equipe de comunicação da Avaaz atraiu a atenção da opinião pública e rapidamente fotos de homens marroquinhos usando vestidos em apoio à campanha invadiram as redes sociais. No dia do julgamento, protestos pacíficos foram organizados em frente ao tribunal local. Ao final, as duas mulheres foram consideradas inocentes e seus agressores levados a julgamento!

"Elas só conseguiram a liberdade hoje por causa da mobilização em massa da opinião pública."

Reda Oulamine, advogado de defesa

#1 Salve Veneza das grandes embarcações na lagoa

Maio de 2015

Em Veneza, companhias turísticas queriam construir um novo canal para permitir que navios de cruzeiro chegassem ao centro da cidade, o que seria devastador. Mas o governo tinha a palavra final no projeto. Então, quando o primeiro-ministro Renzi anunciou sua presença na cidade para um evento político, a equipe da Avaaz foi até lá e entregou quase 100 mil assinaturas pessoalmente. Quando milhares de cidadãos tomaram as ruas da cidade, o projeto foi finalmente enterrado! Uma grande vitória, mas agora um novo plano, igualmente devastador, foi proposto. Vamos continuar lutando.

#1 #ForaBlatter da FIFA

Maio de 2015

Quando altos executivos da FIFA foram presos, a Avaaz lançou uma petição global e enviou uma equipe a Zurique no dia seguinte para colocar uma cela gigante, símbolo da prisão do presidente Sepp Blatter, pedindo que ele renunciasse ao cargo. Nossas imagens rodaram a imprensa e ajudaram a definir a história para milhões de pessoas, aparecendo na TV em 41 países e em centenas de publicações impressas e online. Blatter anunciou há pouco sua saída e a equipe da Avaaz foi convidada, em Zurique, a se reunir com autoridades do Qatar para discutir o uso de trabalho escravo nas preparações para a Copa do Mundo que será realizada naquele país.

#1 Ajuda humanitária 2.0: salvando vidas com agilidade

Desde 2007

Desde 2007, membros da Avaaz já doaram a quantia inacreditável de US$ 10 milhões para ajudar a salvar vidas após catástrofes humanitárias. Mas não é só o valor que impressiona. Quando você acabou de perder tudo, cada minuto importa. Nós conseguimos agir mais rápido do que quase todas as outras organizações, escolhendo parceiros que conseguissem providenciar ajuda imediata nos lugares que mais precisavam. Por exemplo:

Após o ciclone Nargis, na Birmânia, quando quase todas as ONGs foram impedidas de agir, conseguimos enviar equipes à fronteira. Essas pessoas trabalharam em conjunto com os monges e conseguiram enviar a ajuda necessária para salvar vidas nas primeiras 48 horas após o desastre. Quando o Paquistão foi completamente inundado em 2010, nós conseguimos enviar US$ 1 milhão em ajuda por meio de grupos locais, em menos de três dias.

Após o trágico terremoto no Nepal, em abril de 2015, a Avaaz se associou a mais de uma dezena de grupos locais para prestar ajuda humanitária. Por meio da nossa comunidade, conseguimos financiar abrigos, comida e suprimentos médicos, frequentemente os primeiros a chegar nas regiões devastadas.

“Enquanto os prédios ainda desabavam com os tremores secundários no Nepal, a Avaaz conversava conosco para compreender a magnitude do problema e arranjar o dinheiro, tudo em menos de 24 horas. A forma como a Avaaz decide e toma as medidas necessárias é de se admirar.”

Abari.org

#1 Benetton indeniza as vítimas de Rana Plaza

Abril de 2015

Após se negar durante anos a pagar as indenizações, finalmente conseguimos que a Benetton pagasse o que devia para as vítimas do desastre da fábrica de Rana Plaza em Bangladesh! Combinamos o apelo de milhares de pessoas com uma "blitz" nas redes sociais, contratação de anúncios publicitários e outdoors em frente ao prédio da Benetton, depoimentos das testemunhos das vítimas e negociações com os executivos das empresas. Após a blitz, a Benetton respondeu com um novo esquema de indenizações e agradeceu à Avaaz por motivá-los a fazer a coisa certa. A contribuição da Benetton foi decisiva para os direitos dos trabalhadores – após se comprometer a contribuir com $1.1 milhão, o fundo de apoio para as vítimas conseguiu coletar 100% do montante necessário para pagar as empresas e indivíduos vítimas do desastre, mudando para sempre as vidas dos trabalhadores e famílias que já perderam tanto.

"Reconhecemos e concordamos que essa é uma responsabilidade compartilhada em defesa dos que sofreram em Rana Plaza"

Marco Airoldi, presidente da Benetton

#1 Vitória: Convencemos os investidores

Abril de 2015

Depois dos horríveis ataques em Gaza em 2014, a Avaaz lançou a maior campanha global já vista para convencer grandes empresas a cortarem os investimentos e relações com negócios envolvidos na ocupação ilegal de terra e repressão dos palestinos. O arcebispo sul-africano Desmond Tutu e o ator inglês Russell Brand se juntaram à campanha, e outros grupos pediram ao banco Barclays para retirar seus investimentos da companhia de armas Elbit.

A equipe da Avaaz se encontrou com a equipe do Barclays para entregar a petição e foi informada de que o banco não é mais proprietário beneficiário de ações da companhia Elbit Systems, nem possui ações em nomes de clientes. Barclays também confirmou que não aconselha o investimento em ações da Elbit Systems a seus clientes, em nenhuma plataforma.

É uma vitória imensa! Agora a Avaaz está pressionando outros grupos, como o G4S e o fundo de pensão holandês ABP a retirarem seus investimentos e respeitarem o direito internacional.

#1 Justiça para Liz

Outubro de 2013

Após uma adolescente queniana relatar para a polícia que foi estuprada por seis homens e jogada num buraco de esgoto, os policiais pediram que os criminosos cortassem a grama da delegacia como forma de punição. Em seguida, eles liberaram os estupradores! Quando nossa comunidade descobriu esse caso absurdo, respondemos com uma campanha global mega-impactante e pressionamos até que justiça fosse feita:

Entregamos as assinaturas da petição para os principais políticos e oficiais de justiça do Quênia, pegamos no pé do departamento de polícia do país nas redes sociais e enviamos um investigador independente para a cena do crime. Além disso, nos unimos a incríveis organizações locais para realizar uma grande marcha a fim de pressionar o Procurador envolvido no caso para levar os criminosos para o tribunal. Finalmente, quase dois anos depois, um juiz condenou três dos estupradores a 15 anos de prisão.

“A campanha da Avaaz pôs este caso no mapa e se não fosse pelo reconhecimento internacional da situação que Liz enfrentava, tenho certeza de que o caso não estaria onde está hoje. Agora, Liz conta com uma possibilidade de uma vida melhor.”

Terry Kunina, Coalizão da Violência contra a Mulher, Quênia

#1 Um líder humanitário para o mundo

Março de 2015

Quando relatos da imprensa apontavam que o conservador britânico Andrew Lansley poderia ser o próximo sub-secretário para assuntos humanitários da ONU, lançamos uma campanha exigindo transparência e mérito na escolha.

Colocamos anúncios na primeira página do Financial Times, nos encontramos com o chefe de gabinete da ONU, fizemos uma enquete com atuais funcionários da Organização e declaramos abertamente nosso apoio para que Ban Ki-moon não indicasse Lansley.

A boa notícia é que as tentativas do primeiro-ministro David Cameron para dar um emprego para seu bom e velho amigo acabaram por aí. Agora a batalha é para assegurar que as futuras indicações feitas pela ONU atraiam as melhores pessoas possíveis e não “os amigos dos amigos”.

#1 A água do México é para as pessoas, não para as corporações

Março de 2015

O Congresso mexicano estava, discretamente, avançando um projeto de lei absurdo que daria às empresas o direito de poluir a água de todo o país e que tornaria ilegal a pesquisa acadêmica sobre contaminação da água. Quando ouvimos falar disso, lançamos uma sólida campanha junto a parceiros de confiança, envolvendo uma enorme petição, indo às ruas e criando uma repercussão tão grande na imprensa que os políticos não podiam ignorar. Em uma votação posterior no Congresso, a lei foi derrubada, mantendo em segurança o fornecimento de água no México.

“A campanha da Avaaz realmente ajudou, informando e mobilizando as pessoas para pressionar nossos representantes. Jamais imaginamos que conseguiríamos derrubar a lei!”

Claudia Campero, ativista da organização Water

#1 Pagar para protestar?

Março de 2015

Quando a polícia em Londres se recusou a enviar policiais para fechar as ruas para uma caminhada pelo clima, dizendo aos organizadores que eles teriam que contratar uma empresa privada a um custo de milhares de libras, a comunidade da Avaaz não deixou isso passar batido.

Mais de 60 mil pessoas se juntaram ao movimento contra a privatização dos protestos e a petição foi entregue à polícia pelos organizadores do evento.

Depois de grande destaque na imprensa, o prefeito de Londres, Boris Johnson, questionou publicamente a posição da polícia, aumentando a pressão para que fizessem a coisa certa. Dias antes da caminhada, a polícia recuou e concordou em enviar policiais para o evento, garantindo nosso direito à manifestação democrática.

“Obrigada à Avaaz por garantir que o direito à livre manifestação continue um direito democrático fundamental, disponível para todos. Como resultado da petição, não teremos mais que contratar uma empresa privada de controle do tráfego para fechar as ruas para o nosso protesto. A campanha nos ajudou a conquistar o apoio da opinião pública, algo de que precisávamos para desafiar as autoridades.”

Lindsay Alderton, participante da Time to Act

#1 Combatendo o ódio na Alemanha

Fevereiro de 2015

Quando uma série de manifestações xenófobas foram organizadas na Alemanha pelo grupo de extrema-direita Pegida, membros da Avaaz se uniram para combater essa demonstração de medo com amor.

Construímos um “muro da amizade”, no qual alemães de todos os credos e origens publicaram imagens que mostravam seus amigos e o que significava amizade para eles. Levamos esse muro a manifestações em Dresden e Berlim, que fizeram a hashtag #mitdir estourar.

A campanha foi eficaz ao desafiar a mensagem divisiva do Pegida, e teve seu clímax em um festival de um dia realizado no Portão de Brandenburgo, com poetas, músicos e cantores se reunindo para celebrar nossa natureza humana.

“#MirDir passa uma mensagem clara: nós defendemos uma Alemanha diferente. Um país que permite mais do que uma perspectiva. Um país que debate e discute. Um país que é construído em conjunto, não por um contra o outro.”

Uli Hauser, repórter da Stern

#1 Um dia sem carro em Paris

Janeiro de 2015

Membros da Avaaz em Paris tiveram a brilhante ideia de uma campanha por um dia sem carro na capital francesa como um gesto simbólico na preparação para a conferência sobre o clima no final de 2015. Com o apoio da equipe da Avaaz, eles lançaram a campanha e, em questão de horas, a prefeitura ligou e prometeu que o dia sem carro aconteceria em setembro!

#1 #JeSuisCharlie

Janeiro de 2015

Nas horas seguintes aos terríveis ataques no escritório do jornal Charlie Hebdo, no centro de Paris, a Avaaz lançou uma campanha por uma França unida, que respondesse ao terrorismo com amor e esperança. Foi nossa maior campanha na França, reunindo mais de 800 mil assinaturas em questão de horas, e a entregamos durante a gigantesca Caminhada pela Solidariedade em Paris. #JeSuisCharlie

2014

40

milhões

de membros

#1 A maior mobilização pelo clima da história!

Setembro de 2014

No início de 2014, nossa comunidade decidiu ir atrás de um objetivo maluco: fazer a maior mobilização pelo clima já vista, com milhares de pessoas tomando as ruas de Nova York para exigir ação da parte dos nossos líderes. Em 21 de setembro de 2014, ela aconteceu.

Fruto de um trabalho conjunto com nossos amigos da 350.org e outras 1.700 organizações parceiras, a mobilização levou mais de 400 mil pessoas às ruas de Manhattan e outras centenas de milhares de pessoas em mais de duas mil comunidades em todo o mundo. Foi uma linda expressão do nosso amor por tudo aquilo que as mudanças climáticas ameaçam, e da esperança de que podemos salvar este planeta e construir uma sociedade com energia 100% limpa.

Literalmente, centenas de veículos de comunicação cobriram os eventos e o assunto apareceu nas primeiras páginas de jornais como o New York Times e o The Guardian. Mais de 18 ministros participaram da caminhada em Nova York e Ricken Patel, diretor executivo da Avaaz, entregou uma petição com 2 milhões de assinaturas ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, exigindo energia 100% limpa para todo o mundo.

As marchas fizeram com que muitos líderes presentes na conferência da ONU reconhecessem a pressão das ruas. Agora em 2015, nossos governantes finalmente estão começando a agir em conjunto com a Alemanha para pressionar por uma meta de energia 100% limpa na Cúpula do G7 e dando os primeiros passos para o rascunho do Acordo de Paris, comprometendo-se com a descarbonização do planeta.

"As manifestações levaram um número recorde de pessoas às ruas, em parte graças ao poder de mobilização do grupo de campanhas online Avaaz.”

BBC

#1 Protegendo nossas sementes contra transgênicos

Setembro de 2014

Nossa comunidade esteve na linha de frente da luta contra grandes empresas de agronegócios e, em setembro passado, impediu os planos da Monsanto de construir a maior fábrica de sementes transgênicas da América Latina, que produziria 60 mil toneladas de sementes geneticamente modificadas por ano. A Avaaz trabalhou junto com residentes locais, ativistas e advogados para fazer pressão sobre os responsáveis chave pela tomada de decisões na Argentina, e depois de uma batalha de 20 meses nos tribunais e nas ruas, fortalecida pelas multidões, as autoridades detiveram o projeto da Monsanto!

Mas a gente não parou aí: quando a Monsanto montou uma equipe de peso para produzir um novo Estudo de Impacto Ambiental e tentou argumentar com uma contra-proposta, a pressão exercida pela comunidade levou à aprovação de uma legislação impedindo que a proposta fosse adiante. O projeto foi finalmente colocado na geladeira até 2015: a nossa comunidade, crescendo cada vez mais forte, estará pronta quando a ameaça voltar.

“O apoio da comunidade da Avaaz foi importante para nossa luta nos últimos meses contra o projeto da Monsanto, ao abrir um debate na sociedade da Argentina e influenciar autoridades para escutar o povo”.

Celina Molina, líder popular local

#1 Redução de “pelo menos” 40% das emissões de gases de efeito estufa

Outubro de 2014

Após incontáveis atrasos e prevaricações, os líderes da União Europeia finalmente concordaram em reduzir as emissões de gases de efeito estufa em “pelo menos” 40% até 2030. Estas duas palavrinhas entre aspas são essenciais na corrida para salvar o planeta, uma vez que elas determinam um compromisso básico que mostra o quão ambiciosas serão as reduções propostas na ocasião da cúpula do clima de Paris em 2015, quando os líderes se reúnem de novo.

Em parceria com outros grupos, membros da Avaaz ajudaram a selar o acordo ao encaminhar dezenas de milhares de mensagens aos líderes, ao participar de enquetes sobre o clima em todo o continente, e ainda por meio de uma campanha de marketing contundente em um dos principais jornais poloneses e convocações para ação da parte de economistas, dentre os quais Thomas Piketty do Financial Times. Tudo isso teve um verdadeiro impacto.

Após anos de ação climática europeia sucumbindo na hora do obstáculo final, a redução das emissões de carbono está de volta no topo da pauta de nossos líderes.

"Gostaria de agradecer às milhares de pessoas que juntaram-se à Avaaz no esforço para aumentar a pressão para que líderes mundiais entrem em ação agora, em vez de deixar para amanhã. Sem o apoio público, será impossível parar as mudanças climáticas. Portanto, continuem em ação e permaneçam em alerta!"

Dra. Barbara Hendricks, Ministra do Meio Ambiente, Alemanha

#1 Combatendo o Ebola

Segundo trimestre de 2015

É uma questão importantíssima. Esse monstro poderia ter matado milhões e estava ameaçando o mundo todo. Mas a humanidade se uniu para lutar contra ele. O que fizemos?

Primeiro, nossa comunidade doou US$ 2,5 milhões para as operações de combate e tratamento mais eficazes. Foi a rápida disponibilidade do nosso financiamento que possibilitou que essas ações salvassem vidas. Depois, mais de 4 mil de nós nos oferecemos para ir ao oeste africano e usar nossas habilidades para ajudar na batalha . Os voluntários da Avaaz desempenharam papeis cruciais: desde combater a transmissão entre paciente e médico nos centros de tratamento do ebola a construir os locais de atendimento com suas próprias mãos. Mais de uma dúzia de membros foi chamada para trabalhar na região afetada.

Derrotar o ebola é uma vitória enorme para a humanidade. Mas, mais do que isso, o que faz nossa comunidade realmente especial é seu empenho em mostrar que, em momentos de crise, pessoas do mundo todo estão dispostas a arriscar tudo para ajudar outras do outro lado do planeta. Após esse episódio, fica mais claro do que nunca que é essencial investir em saúde pública na região.

“Agradecemos muito pelo apoio e pela flexibilidade que tivemos para usar esse dinheiro. Essa flexibilidade foi fundamental.”

Partners in Health

#11 Preservando as terras dos Masai

Outubro de 2014

Há 20 anos, o governo da Tanzânia vem tentando expulsar uma comunidade masai de suas terras para abrir espaço para um parque onde reis e príncipes ricos do Oriente Médio poderão caçar preciosos animais selvagens. Entretanto, após uma campanha de dois anos, as terras da tribo podem estar seguras.

Membros da Avaaz financiaram anúncios em jornais locais denunciando a ação do governo, levamos equipes de reportagem da CNN e Al Jazeera para cobrir a notícia in loco e apoiamos o acampamento de líderes tradicionais na porta do gabinete do primeiro-ministro por três semanas, forçando-o a ouvi-los.

Quando, em outubro, surgiram relatos de que o governo estava prestes a levar o plano à cabo, voltamos à ação com uma petição com 2,3 milhões de assinaturas e usamos redes sociais para forçar o presidente da Tanzânia a prometer no Twitter que o governo nunca "expulsaria a tribo Masai de suas terras ancestrais". O desafio agora é obter um documento oficial por escrito, mas já obtivemos progresso na batalha para conservar as terras deles.

“Em nome das organizações do terceiro setor em Ngorongoro e da comunidade masai, agradecemos muito o apoio que a Avaaz nos deu de diferentes formas na luta para mantermos nossa terra... Eu não tenho palavras para descrever o impacto que esta campanha teve".

Samwell Nangiria, coordenador das ONGs locais

2014

38

milhões

de membros

#1 O poder de 20 mil vozes russas...

Julho de 2014

Milhões de cidadãos sírios estiveram cercados sem ajuda por meses, uma vez que os caminhões da ONU foram barrados e impossibilitados de cruzar a fronteira turca, e enquanto negociações no Conselho de Segurança da ONU não davam em nada.

Quando, porém, mais de 20 mil cidadãos russos apoiaram uma petição da Avaaz pedindo ao governo do país para apoiar uma resolução da ONU permitindo a entrada da ajuda humanitária, as coisas começaram a mudar.

Em 2 de julho, a Avaaz entregou a petição aos diplomatas russos: era a primeira vez que a população do país convocava seu governo a agir em favor da Síria. A partir daí, em menos de duas semanas, a resolução foi aprovada com unanimidade! A resolução garantiu o livre acesso para que a ajuda humanitária chegasse a milhares de pessoas na Síria, e ainda a entrada de monitores independentes da ONU: um grande avanço para ajudar aqueles que estão em situação de desespero na Síria.

“O apoio da Rússia a esta resolução salvou milhares de vidas. O povo sírio ainda está passando por dificuldades tremendas e uma ação decisiva da ONU é fundamental. Sou especialmente grato à comunidade da Avaaz na Rússia pela solidariedade para com o povo sírio."

Mais, colaboradora da Avaaz de origem Síria que lançou a petição

#1 Mantendo as praias gregas livres de concreto!

Maio de 2014

Poucos dias antes da eleição do parlamento europeu, o governo grego tentou apresentar, sorrateiramente, um projeto de lei que permitiria que empresas privadas fizessem construções e explorassem o belo litoral do país. Dentro de poucas horas, milhares de membros da Avaaz mobilizaram-se para interromper os planos.

Em colaboração com a WWF, a Avaaz entregou uma petição com 150 mil assinaturas diretamente no Ministério das Finanças do país. Nossas ações criaram uma onda gigante na imprensa, o que colocou o assunto no centro do debate pré-eleitoral. Entre o clamor público e a atenção da mídia, o governo grego foi forçado a mudar de ideia sobre o assunto e retirar totalmente o projeto de lei.

“A incrível mobilização da Avaaz foi além dos gritos populistas de sempre e merece ser parabenizada.”

Fotini Pipili, parlamentar grego do partido da situação

2014

36

milhões

de membros

#1 Derrubando a loucura dos jatos F35 na Itália

Maio de 2014

Em tempos de recorde de desemprego na Itália, membros de Avaaz ficaram estarrecidos ao ouvir que o governo planejava gastar €14 bilhões com jatos de caça F35. Na campanha que viria a se transformar na maior da Avaaz na Itália, quase meio milhão de italianos mobilizaram-se contra o gasto do minguado dinheiro dos contribuintes com novos jatos de combate.

Centenas de membros da Avaaz participaram de uma manifestação contra a proposta de investimento. Mais de 472 mil assinaturas foram entregues diretamente aos membros do Comitê de Defesa do o parlamento, com ampla cobertura da imprensa. A pressão assegurou que o governo conduzisse uma investigação de averiguação sobre os sistemas de armas e despesas militares, resultando na aprovação de uma resolução na Câmara de Deputados levando o governo a reduzir o orçamento do projeto pela metade e economizando 7 bilhões de euros!

“Eu concordo com o descontentamento dos cidadãos que assinaram esta petição. Em tempos tão difíceis para nosso país, é preciso também racionar despesas no setor de defesa".

Paolo Bolognesi, membro do Comitê de Defesa da Câmara dos Deputados.

#7 Compramos uma floresta!

Março de 2014

Uma de nossas mais ambiciosas campanhas de captação de recursos foi essa, em que mais de 90 mil membros da Avaaz contribuíram com dinheiro suficiente para comprar 389 acres de floresta tropical na parte malaia do Bornéu.

389 acres não parecem muito, mas são cruciais para criar corredores vitais à vida selvagem e à migração sasonal, já que conectam diversas áreas protegidas. Além disso, garantem proteção a faixas consideráveis de floresta e à algumas das áreas de maior biodiversidade do mundo.

Empresas privadas, que queriam destruir as florestas em Bornéu para plantar palma (para produção de óleo), também estavam interessadas nesse pedaço de terra. Quando o compramos, ajudamos a proteger 300 elefantes-pigmeus-de-bornéu e 700 orangotangos-de-bornéu, uma espécie em gravíssimo risco de extinção.

Nossa comunidade arrecadou dinheiro suficiente para que nossa organização parceira, a Rainforest Trust, tivesse o US$ 1 milhão necessário para adquirir esse corredor de florestas e ainda estabelecesse um fundo para proteger outras áreas similares. A partir desse fundo foi possível, por exemplo, criar uma reserva de 282 mil acres no Danum Valley, também em Bornéu, área de proteção dos rinocerontes-de-sumatra.

“Com o apoio dos membros da Avaaz, nosso projeto na parte malaia do Bornéu pôde proteger os resquícios de floresta ao longo de um corredor de mata ciliar repleto de vida selvagem, incluindo elefantes-pigmeus, macacos-narigudos e cucos-terrestres-de-bornéu. Conhecer estes lugares é como voltar ao passado e ver como Bornéu era antes da explosão das plantações de palma. Muito obrigado.”

Declaração do Dr. Paul Salaman, presidente-executivo do Rainforest Trust

#1 Lançando luz na escuridão do “voto secreto”

Fevereiro de 2014

Nossa comunidade ganhou duas batalhas gigantes em favor da democracia, colocando um fim na prática obscura do “voto segreto” no Brasil e na Itália. Em todo o Brasil, membros de Avaaz fizeram de tudo para manter os telefones dos senadores ocupados, pressionando para que votassem pelo fim do voto secreto. Juntos, alcançamos uma primeira vitória na Câmara dos Deputados e em seguida uma conquista definitiva no Senado. É uma grande vitória para uma das maiores democracias do mundo.

Na Itália, os membros da Avaaz participaram nús em uma formidável ação para expor a necessidade do voto aberto. Milhares de membros enviaram mensagens diretamente ao senador chave da votação, fazendo com que mudasse sua posição final. Derrotamos o voto secreto e ajudamos a expelir Berlusconi do parlamento.

"Meu papel me impõe imparcialidade, mas é fundamental que pessoas em instituições, como eu, recebam e escutem a voz dos cidadãos.”

Dario Stefano, presidente do colegiado de eleições e imunidade

#1 Forçada a se casar com seu próprio estuprador

Janeiro de 2014

Aos 16 anos de idade, Amina suicidou-se após ser forçada a se casar com o homem que a estuprou. Segundo o artigo 475 do Código Penal marroquino, estupradores podem se casar com suas vítimas para escapar do processo. Dez meses depois da primeira petição global sobre o assunto, a Avaaz lançou uma campanha para para revogar a lei. Na véspera de uma votação crucial sobre a lei, entregamos 1,2 milhão de assinaturas diretamente ao líder do parlamento. Na sequência, o Parlamento marroquino votou pela revogação do artigo de forma que outras garotas não terão que passar pelo mesmo horror que Amina passou.

“É uma grande e importante vitória graças a vocês. Permita que eu felicite e faça um tributo à equipe da Avaaz e a todos os seus membros pela grande ação de solidariedade.”

Latifa Jbabdi, líder feminista do Marrocos

#1 Interrompendo o apocalipse da internet

Dezembro de 2013

No fim de 2013, a Comissão Europeia propôs uma lei que acabaria com a internet como a conhecemos: e sabíamos que tínhamos que deter isso. Dentro de apenas alguns dias, lançamos uma campanha global convocando a União Europeia a proibir que grandes empresas de telecomunicações transformassem a internet, que é uma rua pública aberta a todos, em uma estrada com pedágio restrita a poucos. E deu certo: o projeto de lei foi modificado para proteger a neutralidade da rede, sob o princípio de que todos os sites devem que ser tratados da mesma maneira. A grande maioria do parlamento aprovou um texto que, pela primeira vez na história da internet, protege a neutralidade da rede e forçará países mundo afora a fazer o mesmo. Em abril de 2014, continuamos a luta e obtivemos uma vitória para cada cidadão brasileiro quando o Senado aprovou o Marco Civil da Internet.

Vencemos uma batalha importante, mas a recém-designada Comissão pode facilmente vir a revisar o pacote dos operadores de telecomunicações e deixar para trás regras estritas de neutralidade da rede quando os governos da União Europeia decidirem sobre o assunto no ano que vem: vamos permanecer em alerta!

#1 Enfrentando o terror no paraíso

Quando uma sobrevivente de estupro de apenas 15 anos foi condenada a uma pena de chibatadas nas Maldivas por supostamente ter feito sexo consensual com outro homem, o foco das atenções foi para essas ilhas ditas paradisíacas. Mais de 2 milhões de membros da Avaaz members assinaram uma petição pedindo ao presidente Mohammed Waheed para intervir no caso e acabar de vez com a pena de chibatadas.

A Avaaz fez ações de advocacy nos níveis mais altos do governo das Maldivas e lançou uma campanha com anúncios que tinham como alvo a indústria de turismo, expondo a realidade das mulheres nesse paraíso. Em agosto, a Suprema Corte finalmente anulou a absurda sentença de chibatadas (leia mais em CBN). Uma pesquisa contratada pela Avaaz, feita entre os moradores das Maldivas, mostrou que 92% deles querem uma reforma nas leis para maior proteção às mulheres e 62% querem uma moratória da pena de chibatadas. Após esses primeiros passos, a Avaaz continuará fazendo campanhas para acabar com essa verdadeira guerra contra as mulheres nas Maldivas.

"A contribuição da Avaaz foi a ponta de lança da campanha para acabar com a sentença de chibatadas; uma petição assinada por milhões, uma visita ao país, uma pesquisa de opinião... era impossível deixar de fazer algo. Espero que a Avaaz continue buscando

Dr. Ahmed Shadeed, ex-ministro de Relações Exteriores, atual relator da ONU no Irã

2013

24

milhões

de membros

#1 O Brasil diz NÃO à corrupção e SIM à democracia do século XXI!

Julho de 2013

Os brasileiros estão dando um basta à corrupção desenfreada. Primeiro foi a campanha da Lei da Ficha Limpa, de enorme sucesso, que tornou inelegíveis os políticos condenados por órgãos colegiados da Justiça. Estudos mostram que a Avaaz desempenhou um papel fundamental nesta conquista. Recentemente, um membro da Avaaz criou uma das maiores petições online da história do Brasil, com mais de 1,6 milhão de assinaturas exigindo que os senadores tirem o presidente do Senado do poder, um político duvidoso contra quem há uma série de acusações de corrupção. Ele ainda está no poder, mas estamos muito perto de acabar com o processo de votação secreta que permitiu que ele se tornasse presidente do Senado.

Melhor ainda: o Senado acabou de aprovar uma proposta que facilita e agiliza a forma pela qual os cidadãos forçam a ação dos políticos. A Avaaz foi citada várias vezes durante o debate no Senado, quando foram aprovadas tanto a redução pela metade do número de assinaturas necessárias para leis de iniciativa popular quanto a validade das assinaturas online para isso. Agora, estamos fazendo de tudo para que a Câmara transforme a proposta em lei.

"A Avaaz é uma ótima ferramenta para cidadãos expressarem seu interesse. Ela foi muito importante para que o projeto que acaba com o voto secreto na eleição de presidente do Senado fosse aprovado na comissão."

Senador Sergio Souza

2013

22

milhões

de membros

#1 Salvando as Baleias de um Massacre

Junho de 2013

Quando um magnata islandês lançou sua brutal caçada de verão, com o objetivo de transformar espécies ameaçadas de baleia em comida para cachorro, a Avaaz iniciou uma campanha para impedir o envio das carcaças sangrentas para o Japão. Mais de 1,1 milhão de nós convencemos os políticos holandeses a assumir o compromisso de fechar os portos nacionais para esta carga. E então aparecemos outra vez na Alemanha, quando ele tentou redirecionar o carregamento pela cidade de Hamburgo. O Ministério do Meio Ambiente alemão respondeu às mensagens enviadas por membros da Avaaz imediatamente por meio do Twitter e, trabalhando juntamente com o Greenpeace, criamos pressão suficiente para enviar a carne de baleia de volta à Islândia! O governo alemão pediu agora que o porto recuse todos os carregamentos de carne de baleia no futuro. Mais de 200 mil membros da Avaaz na Alemanha estão exigindo que a maior rede de supermercados do país pare de vender produtos ligados à empresa responsável pela caça às baleias e estamos buscando extinguir as outras rotas de lucro do caçador de baleias até que ele perceba que essa prática tem que acabar.

“A campaha da Avaaz desempenhou um papel importante para impedir que os caçadores de baleias continuassem lucrando com esta atividade, tornando cada vez mais próximo o fim da caça destas baleias magníficas em em risco de extinção”

John Frizell, do Greenpeace Internacional

#1 Combatendo a Sonegação Mundial de Impostos

Junho de 2013

Todos os anos, empresas gananciosas e indivíduos muito ricos se aproveitam de esquemas para esconder uma fortuna estimada em $1 trilhão, sonegando impostos, necessários para melhorar nossos serviços públicos e nossos países. Este ano vislumbramos uma oportunidade para sair em busca dessa quantia que está faltando aos cofres públicos: criamos uma enorme petição e trabalhamos junto ao famoso cantor Baaba Maal e às organizações Save the Children e ActionAid, além de outros grupos, para fazer nossas vozes chegarem a David Cameron, presidente do G8. Nossa carta, assinada por 21 mil representantes de empresas de todo o mundo, ajudou a transformar essa questão em algo vantajoso tanto para os cidadãos quanto para as empresas e a mudar a posição da Alemanha e do Canadá, resultando em um acordo histórico que poderá levar os governos a trabalhar em conjunto para pôr fim à sonegação de impostos. A 'Declaração Lough Erne' foi breve quanto a questões específicas, mas nos dá uma enorme vantagem na hora de cobrar dos governos o bloqueio de esquemas suspeitos usados para evitar o pagamento de impostos.

#1 Lutando pela segurança dos intérpretes afegãos

Maio de 2013

Ao longo dos 11 anos de conflito no Afeganistão, intérpretes locais ajudaram na comunicação entre as tropas e profissionais de ajuda humanitária e a população afegã. Muitos foram mortos ou feridos enquanto trabalhavam e agora o Taleban está perseguindo os sobreviventes para assassiná-los. Um intérprete, Abdul, iniciou uma campanha para que o governo britânico oferecesse asilo para ele e todos os seus colegas. A campanha foi rapidamente apoiada por 80 mil cidadãos britânicos e a Avaaz trabalhou junto a antigos generais e membros do atual governo para conseguir que a imprensa realizasse uma cobertura massiva do assunto. O governo acabou de oferecer asilo para cerca da metade dos intérpretes e a luta continua para que o restante também conquiste essa garantia.

2013

21

milhões

de membros

#1 Bangladesh: Esperança vinda dos escombros

Maio de 2013

Quando o prédio de uma fábrica de roupas em Bangladesh desabou, matando mais de mil pessoas, a Avaaz uniu forças às organizações locais de direitos trabalhistas para pressionar dois grandes nomes da indústria internacional da moda. O objetivo: fazer com que eles assinassem um acordo de proteção aos trabalhadores que serviria de modelo para o restante do mundo.

Os membros da Avaaz encheram as páginas da H&M e GAP no Facebook com mensagens. E, quando a publicação dos nossos anúncios direcionados ao presidente da H&M foi rejeitada na Suécia, deu-se início a um grande debate na imprensa e online. Executivos de alto-escalão da H&M falaram por telefone com a Avaaz e, 3 dias depois, assinaram o acordo. Isso incentivou mais de 75 outras marcas a seguir este exemplo! GAP e Walmart ainda não estão na lista dos que assinaram o acordo, mas a campanha continua ativa!

"Eu não tenho dúvidas de que a Avaaz desempenhou um papel central para convencer a H&M a aderir ao acordo."

Scott Nova, Consórcio pelos Direitos dos Trabalhadores

2013

20

milhões

membros

#3 Vitória para as abelhas na Europa!

Abril 2013

Após mais de dois anos de campanhas incansáveis, desempenhamos um papel fundamental para fazer com que a Europa proibisse pesticidas letais para as abelhas, pelo menos até 2015! Conseguimos essa vitória após dois anos de ações, em que enchemos os endereços de e-mails de ministros com mensagens, juntamos mais de 2,6 milhões de assinaturas, organizamos protestos com criadores de abelhas (com a presença de uma abelha inflável gigante de 5 metros de altura), financiamos pesquisas de opinião pública e fizemos muitas outras ações.

Esta tem sido uma longa batalha contra grandes corporações como a Bayer, e nada disso seria possível se não fosse a colaboração de muitos cientistas, especialistas no assunto, funcionários de governo que apoiaram a campanha, criadores de abelhas e grupos ambientalistas. Mas a luta não acabou por aqui. Em 2015, os membros da Avaaz ajudaram a arrecadar $800 mil para financiar pesquisas independentes nos EUA e Europa sobre o real impacto dos pesticidas sobre as abelhas. Essas pesquisas nos ajudarão a entender ainda mais o impacto dos venenos em nossas plantações e campos.

"A enorme petição da Avaaz e suas campanhas criativas ajudaram a levar os esforços até o final."

Amigos da Terra

#1 Esperança para estudantes sírios no exterior

Abril de 2013

A crise na Síria tem tido um efeito devastador não apenas para a população civil no país, mas também para jovens estudando no exterior. Na Grã-Bretanha, mais de 600 estudantes sírios estavam tendo dificuldades para pagar suas matrículas, e as universidades estavam expulsando muitos deles de seus cursos. Uma campanha em nome dos estudantes desesperados trouxe novas esperanças. Apoiada por 48 mil membros da Avaaz, juntamente com uma cobertura extensa na imprensa e a defesa da causa junto a membros do governo e universidades, a campanha forçou universidades a suspender suas taxas de matrícula e abrir o acesso a financiamento. Ela levou ainda doadores particulares a apoiar estudantes indvidualmente e o governo a pensar sobre uma nova rede de proteção para estudantes de universidades estrangeiras. Agora, muitos daqueles estudantes sírios estão concluindo seus estudos.

"Esta campanha tem sido incrível – tive minhas taxas de matrícula suspensas e acesso a um financiamento fundamental para que eu possa me concentrar em concluir os estudos e, quando chegar o momento, volte e ajude a reconstruir a Síria. Obrigado, Avaaz!"

Husam Helmi, estudante sírio

#1 Parem o Massacre de Elefantes

Março de 2013

Em toda a África, elefantes estão sendo assassinados – e suas presas, arrancadas com serras-elétricas – em quantidade recorde para produzir artigos de luxo, estátuas e bugigangas na Ásia. Reagindo a essa realidade horrenda, quase 1,4 milhão de membros da Avaaz e apoiadores da WWF uniram forças com o ator Leonardo DiCaprio, exigindo que a primeira-ministra da Tailândia acabasse com o mercado não-regulamentado de marfim no país, o maior do mundo. Milhares de pessoas enviaram e-mails a ela e deixaram tantos comentários em sua página no Facebook que ela saiu do ar temporariamente. Combinadas, essas pressões forçaram-na a dar ouvidos às exigências – e ela prometeu pôr um fim ao comércio não-regulamentado. Uma fonte no governo tailandês afirmou que o anúncio foi um resultado direto das nossas campanhas.

2013

18

milhões

de membros

#1 Enfrentando o ódio na Costa Rica

Fevereiro de 2013

Quando o homofóbico presidente da Comissão de Direitos Humanos do Congresso costa-riquenho convidou um médico para falar aos parlamentares sobre como “curar” a homossexualidade, os membros da Avaaz na Costa Rica o enfrentaram. Uma petição iniciada no site de Petições da Comunidade da Avaaz, pedindo por sua renúncia, se tornou viral e rapidamente alcançou mais de 25 mil assinaturas. Quando o parlamentar se recusou a renunciar, a Avaaz entregou as assinaturas em grandes caixas coloridas ao presidente do Congresso, sob os olhos da imprensa local. O presidente do Congresso se comprometeu, assim como seu partido, a não voltar a indicar o parlamentar homofóbico – e ele foi retirado do cargo apenas algumas semanas depois!

#1 Liberdade para Sevil Sevimli

Fevereiro de 2013

Sevil Sevimli, uma estudante franco-turca do programa Erasmus, foi presa enquanto fazia intercâmbio em Istambul pôr ter ido a um show ligado à esquerda em comemoração ao 1º de maio. Ao longo de quase 10 meses, ela teve de suportar um verdadeiro pesadelo jurídico, sem poder voltar para casa, em Lyon. Revoltados com essa prisão cruel e arbitrária, os apoiadores de Sevil iniciaram uma petição na Avaaz, que ganhou a adesão de mais de 136 mil membros. Além disso, a família de Sevil se reuniu com o embaixador para os Direitos Humanos da França, o que contribuiu para pressionar a Turquia a libertar Sevil, que teve uma emocionante viagem de volta para a França!

“Esta petição me ajudou a manter as esperanças quando eu estava na prisão.”

Sevil Sevimli

2012

17

milhões

de membros

#4 Seja bem-vinda, Palestina

Novembro de 2012

No dia 29 de novembro, a ONU reconheceu a Palestina como o 194º Estado do mundo em maioria esmagadora. Foi uma grande vitória para o povo palestino e para a paz -- e nossa comunidade teve um papel essencial para fazer isso se tornar realidade. Quase 1.8 milhão de pessoas assinaram a petição pedindo pelo reconhecimento, muitos doaram para financiar pesquisas de opinião pública, que mostraram o apoio de 79% das pessoas em países europeus importantes para a votação. Nas ruas, uma bandeira enorme do tamanho de um prédio de quatro andares foi erguida do lado de fora da Comissão Europeia, em Bruxelas. Nos corredores do poder, colaboradores da equipe da Avaaz e membros defenderam a causa diante de ministros de governo e membros do parlamento, além de enviarem milhares de mensagens via email, Facebook e Twitter.

Nas horas finais antes da votação, os gabinetes dos ministros de relações exteriores e chefes de estado foram inundados com telefonemas dos membros da Avaaz. A votação final na ONU ficou assim: 138 disseram "sim", 41 abstenções e somente 9 disseram "não". Nossas vozes foram ouvidas e fizemos história – a partir de agora, em 2015, a bandeira da Palestina será hasteada na ONU em Nova York.

"Avaaz e seus membros ao redor do mundo tiveram um papel importantíssimo ao persuadir os governos a apoiarem o pedido do povo palestino em busca da paz e liberdade … a solidariedade e apoio da comunidade serão lembrados e acarinhados em toda a Palestina."

Leila Shahid, representante geral da delegação palestina para a Europa

2012

16

milhões

de membros

#1 Realizando o sonho de Malala

Outubro de 2012

Quando Mala Yousafzai, uma garota de apenas 15 anos de idade, foi baleada pelo Talibã, o mundo se ergueu em revolta. Em resposta, quase 1 milhão de pessoas pediram ao governo paquistanês que realizasse o sonho dessa garota em prol da educação para todos e desse apoio a um programa de ajuda financeira nacional para colocar todas as crianças pobres do Paquistão nas escolas. O enviado especial para educação da ONU, Gordon Brown, entregou as assinaturas diretamente ao presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, que também assinou a petição! Naquela mesma data, um mês após Malala ter sido baleada, o governo paquistanês lançou oficialmente o programa de ajuda financeira educacional para 3 milhões de crianças.

"Eu acredito que se agirmos juntos e nos pronunciarmos, como os membros da Avaaz têm feito, podemos começar a cumprir a promessa de educação pela Malala."

Gordon Brown

2012

15

milhões

de membros

#1 Libertando Trabalhadores Imigrantes

Julho de 2012

Quando uma empresa de construção enganou trabalhadores indianos para o Bahrein sob falsas pretensões e recusaram deixar eles irem embora, a comunidade da Avaaz entrou em ação. O irmão de um dos trabalhadores que tragicamente se suicidou deu início a uma campanha em nosso site Petições da Comunidade para exigir que a empresa deixasse os 100 outros trabalhadores voltarem para seus país. 20.000 pessoas se juntaram ao seu chamado e engajaram os parceiros de negócios dessa empresa para ajudar a colocar pressão. Em questão de dias, fizemos o que o governo indiano não conseguiu realizar por 7 anos: fizemos a empresa de construção liberar os trabalhadores pra eles voltarem para suas casas. Conseguimos ainda que a empresa se comprometesse a nunca mais impor o banimento de viagens de seus funcionários novamente.

"Isso não teria acontecido sem a Avaaz."

Embaixada da Índia no Bahrein

2012

14

milhões

de membros

#1 Impedindo o Massacre da Motosserra na Amazônia

Maio de 2012

No início do ano, o Congresso Nacional do Brasil, sob pressão de poderosos lobistas e interesses, aprovaram uma lei florestal catastrófica que dava a madeireiros e fazendeiros liberdade para derrubar grandes áreas da Amazônia. Como parte de uma poderosa parceria com Greenpeace, WWF, e importantes organizações brasileiras, bem como figuras públicas, mais de 2 milhões de membros da Avaaz fizeram pressão para que a presidente Dilma rejeitasse o projeto de lei e salvasse a Amazônia. Nossa mensagem foi levada em um dia dramático cheio de encontros de alto-nível com ministros do governo e ações criativas na capital, Brasília. Dilma respondeu ao apelo vetando algumas das partes mais polêmicas da lei.

#1 Protegendo o Mar de Coral

Fevereiro de 2012

Na Austrália, milhares ajudaram a criar a maior rede de áreas marinhas protegidas do mundo. Quando abriram uma consulta pública sobre uma proposta de parque nacional marinho no início deste ano, as empresas de pesca comercial e de mineração foram pra cima da consulta com tudo o que tinham. Mas centenas de milhares de membros da Avaaz assinaram uma carta para o ministro do Meio Ambiente, e quase 30.000 inundaram a consulta pública com comentários a favor da proposta. O governo não teve dúvida do que as pessoas de fato queriam. A opinião pública australiana, com o apoio de cidadãos de todo o lado, deu ao governo o mandato necessário para proteger este importante trecho do Mar de Coral da mineração, petróleo e gás.

2012

12

milhões

de membros

#6 Contra a Censura da Internet

Janeiro de 2012

Redigido por trás das cortinas por um pequeno número de países ricos e as empresas privadas, o tratado ACTA daria a grandes multinacionais a capacidade de controlar e censurar a Internet . Quando detalhes do tratado foram divulgados, mais de 2 milhões de membros da Avaaz assinaram uma petição ao Parlamento Europeu exigindo que os legisladores viessem à público em defesa de uma Internet livre e aberta e rejeitassem a ratificação da ACTA. A petição, que cresceu para quase 3 milhões de assinantes, foi entregue diretamente para os tomadores de decisão em Bruxelas. Quando a lei foi abandonada durante a votação final, o press release do Parlamento Europeu anunciando a derrota do ACTA citou a petição Avaaz como um fator chave!

"Fiquei bastante impressionado pela enorme petição da Avaaz com 2.8 milhões de assinaturas endereçada ao Parlamento Europeu. Cidadãos preocupados foram levados em consideração no parlamento."

Martin Schulz, presidente do parlamento

Liberdade da Internet

#8 Salvando a Internet

Janeiro de 2012

Em apenas três semanas, mais de 3 milhões de pessoas em todo o mundo assinaram uma petição opondo-se a um projeto de lei escandaloso que teria dado ao governo dos EUA o direito de tirar qualquer site do ar -- sites como YouTube, Wikileaks e até mesmo o da Avaaz poderiam ser alvos! Nós trabalhamos com outras organizações, como a DemandProgress, e foi aí que a equipe do presidente Barack Obama respondeu. A Avaaz organizou uma reunião de 1 hora com altos funcionários da Casa Branca para entregar a petição. A Casa Branca condenou posteriormente o projeto de lei e os principais defensores do projeto retiraram seu apoio. A partir de agora, o projeto de lei de censura da Internet está morto. Quando começamos, todo mundo nos disse que a lei não poderia ser barrada, e agora foi rejeitada tanto pelos Democratas quanto pelos Republicanos -- uma grande vitória para a liberdade na Internet e para o poder do povo!

"Somos gratos pela reunião com a Avaaz, pois assim ouvimos as preocupações de mais de 1 milhão de pessoas que assinaram a petição por uma Internet aberta. Obrigado por seu comprometimento em trazer mais vozes para o processo democrático."

Macon Philips, Diretor da Casa Branca de Estratégia Digital

#2 Derrotando a Máfia de Murdoch

Julho de 2012

Por muito tempo, Rupert Murdoch e seu império de mídia desonesto desfrutaram de uma influência indevida sobre nossos políticos. Em 2011 a máfia de Murdoch tentou reforçar seu domínio sobre a imprensa do Reino Unido assumindo o controle da BSkyB. A maioria das pessoas dizia que esse era um negócio feito e que não poderia ser interrompido. Discordamos lançando uma campanha incansável que envolveu 1 milhão de ações online, 30.000 telefonemas para parlamentares e 40.000 contribuições fundamentais em uma consulta do governo britânico sobre o acordo de negócio da BSkyB . Nossas ações ajudaram a desacelerar a aprovação da venda pelo governo até que surgiu o escândalo de hacking de telefones, o que matou o acordo de venda da empresa. Emails internos do governo revelaram mais tarde que os reguladores e lobistas do Murdoch estavam lutando para acabar com a nossa campanha, mas sem sucesso. Após termos ajudado a impedir a venda, fizemos uma campanha para garantir que nenhum barão da mídia fosse autorizado novamente a possuir grande parte dos meios de comunicação, e esse pedido foi ecoado no relatório Leveson sobre as reformas de mídia do Reino Unido.

"Os membros da Avaaz no Reino Unido e no mundo lideraram uma campanha para fazer os políticos escutarem a vítimas do escândalo. Agora todos sabem que Rupert Murdoch ficou poderoso demais... Vocês usaram suas vozes. E fizeram a diferença. Obrigado."

Tom Watson, parlamentar

Jornalismo cidadão

#1 Rompendo com o Blecaute na Síria

Abril de 2011

Desde os primeiros dias da revolta pacífica na Síria, a comunidade da Avaaz tem se mantido ao lado do povo sírio frente aos ataques brutais do seu próprio governo. Milhares de nós tomaram medidas para ajudar a equipar sírios corajosos com modems via satélite e telefones com câmera para filmar as repressões do regime de Assad contra civis inocentes. Antes mesmo da mídia internacional conseguir entrar no país, a revista Time creditava à Avaaz por "organizar um fluxo constante de imagens de vídeo de dentro da Síria que ajudaram a compor a imagem da brutalidade que aconteceria no país para o mundo ocidental."

E quando a situação ficou terrível, nossa comunidade ajudou a canalizar milhões de dólares em alimentos, remédios e ajuda humanitária aos que tão desesperadamente precisavam. Hoje, continuamos a pressionar os governos em todo o mundo a tomar as medidas decisivas necessárias para trazer uma Síria livre e pacífica.

Vozes poderosas

#10 Hilton Concorda em Impedir o Tráfico Sexual

Outubro de 2010

Durante anos os Hotéis Hilton taparam os olhos para o comércio internacional de sexo. Eles não achavam que tinham a responsabilidade de proteger totalmente mulheres e crianças em seus hotéis. Mais de 317.000 membros da Avaaz achavam o contrário e advertiram o CEO do Hilton que a menos que ele mudasse de atitude, nós colocaríamos anúncios publicitários de impacto em sua cidade natal.

Apenas quatro dias depois, Hilton concordou em treinar todos os seus 180.000 funcionários internacionais a identificar e prevenir a indústria de exploração sexual. Hilton ouviu e agiu - agora eles estão liderando a indústria hoteleira no combate ao tráfico sexual.

Canal de ajuda

#1 Enchente no Paquistão

Agosto de 2010

Quando uma catástrofe humanitária de proporções assombrosas se abateu sobre o Paquistão, com um quinto do país submerso e milhões de desabrigados precisando de assistência emergencial, membros da Avaaz agiram rapidamente.

Em apenas 3 dias, nós ultrapassamos a nossa meta de $300 mil, doando quase $1 milhão para organizações locais confiáveis. 100% dos fundos arrecadados foram enviados diretamente para os paquistaneses necessitando assistência pós-desastre e fortalecendo os seus sistemas locais.

Massa crítica

#1 Brasil: Ficha Limpa

Julho de 2010

Os brasileiros tomaram um grande passo contra a corrupção criando o maior movimento brasileiro online na história do país. Pedidos pela Lei Ficha Limpa se tornaram um dos tópicos mais populares no Twitter (Abril 2010) e membros da Avaaz fizeram com que o número de assinaturas pela votação no congresso subisse para mais de 2 milhões.

Antes da votação crucial, membros da Avaaz aumentaram a pressão nos deputados para que estes apoiassem a Lei Ficha Limpa, enviando milhares de mensagens e fazendo ligações. A Avaaz também organizou um teatro de rua, "Limpando o Congresso", com baldes e sabão, e atraindo a atenção da mídia, incluindo o Jornal Nacional.

Apesar dos repetidos avisos do presidente da Casa, de que não haveria apoio político suficiente para passar, em maio de 2010 o Congresso passou o projeto de lei de forma unânime. Esse foi um sucesso incrível, trazendo para mais perto o sonho de política sem corrupção.

"Uma vitória para os internautas", postou um dos senadores em seu Twitter, depois da votação. Uma "impressionante petição sem precedentes", disse o jornal francês Le Monde.

"Eu nunca me senti tão orgulhoso do povo brasileiro como hoje! Parabéns a todos que assinaram. Hoje eu me sinto um verdadeiro cidadão com poder político."

Um membro da Avaaz no Brasil

IMPACTO MASSIVO

#1 Salvem os Oceanos

ABRIL DE 2010

Uma grande vitória! O Reino Unido anunciou seus planos de dobrará área total de proteção dos oceanos com uma nova zona de conservação maior do que a Alemanha e Itália juntas (abril 2010). No momento de consulta pública anterior à decisão, membros da Avaaz contribuiram com mais de 85% das respostas, pedindo apoio aos habitantes das ilhas e que fosse banida a pesca comercial,

O ministro de relações exteriores do Reino Unido mencionou as "mais de 221.000 respostas coordenadas pela Avaaz... vindas de 223 países" em seu discurso.

É um grande passo, mas é preciso continuar com a pressão para garantir um resultado justo para os nativos das ilha de Chagos e Maurício -- e continuar a proteger oceanos da pesca predatória.

#1 Elefantes

Com elefantes em risco, 500.000 de nós ao redor do mundo deram voz à Coalizão para Elefantes Africanos através de nosso apoio -- e, após uma votação acirrada junto com ajuda de nosso parceiros no local, ganhos a proteção dos elefantes na sessão de Animais em Extinção da ONU (março 2010).

O chefe da Rede de Espécies em Sobrevivência disse que "a petição, sem dúvida, fez uma diferença e nos ajudou a atingir os resultados certos para elefantes em todo o mundo".

"A petição, sem dúvida, fez uma diferença e ajudou a atingirmos o resultado para todos os elefantes."

Diretor da Species Survival Network

Justiça para todos

#1 Parem os assentamentos

Março de 2010

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu descarrilou negociações de paz lideradas pelos EUA quando ele anunciou planos para construir mais assentamentos habitacionais em terra palestina ocupada. A Avaaz respondeu ao canalizar a posição do mundo contra a construção de assentamentos e a vontade de uma solução justa que envolva dois Estados. Uma pesquisa de opinião da Avaaz e ações de mídia ajudaram a dar apoio à posição do presidente Barack Obama antes de uma reunião crucial entre os dois chefes de Estado. Aqui está um vídeo.

Solidariedade nas crises

#1 Terremoto no Haiti

Janeiro de 2010

Milhares de nós contribuimos mais de US$1,3 milhões para auxílio e recuperação após o terremoto no Haiti (Janeiro 2010), ajudando organizações locais a proverem comida e ajuda mécica que salvaram vidas.

Nós continuamos nossa campanha com uma petição pedindo o cancelamento da dívida do Haiti, que foi seguida por uma garantia de que $1 bilhão dessa dívida seria perdoada.

Fale e seje ouvido

#1 Crise dos Alimentos

Novembro de 2009

Com os preços dos alimentos subindo, a Ministra das Relações Internacionais da Serra Leoa, Zainab Bangura, gravou um vídeo apelando aos membros da Avaaz, pedindo para eles pressionarem seus governos a tomarem uma atitude. Mais de 360.000 membros responderam, assinando uma petição online que foi entregue ao Secretário Geral das Nações Unidas Ban Ki-Moon num seminário emergencial sobre a crise alimentar, em Roma. Cedendo à pressão global, os governos financiadores prometeram bilhões de Euros em fundos emergenciais para a crise alimentar e iniciaram um processo para reconsiderar a política agrícola. Mais de 60.000 membros da Avaaz também enviaram mensagens a seus governos pedindo normas sustentáveis para os biocombustíveis que terminariam com as práticas de queima de alimentos como combustível e com a substituição das terras produturas de alimentos pela produção de combustível. Neste mês de julho, o G8 prometeu “assegurar a compatibilidade das políticas para a produção e o uso estável dos biocombustíveis evitando a crise alimentar” -- mas uma pressão maior é necessária, para tornar esta promessa uma realidade.

ALCANCE GLOBAL

#1 Hora de Acordar para o Clima

21 DE SETEMBRO DE 2009

Em 2009, em mais de 2600 eventos em 135 países, nós nos juntamos para mostrar aos líderes mundiais que está na hora de acordar para as mudança climática. Os maiores veículos midiáticos cobriram em suas reportagens a incrível criatividade e diversidade dos membros e parceiros da Avaaz, levando aos líderes mundiais a nossa mensagem. Palavras não são suficientes para descrever o que aconteceu -- mas este vídeo chega perto.

Idealismo criativo

#1 Tortura, Guantanamo e os EUA

Setembro de 2009

Inspirados pelo apoio incentivo continuo por campanhas para acabar com a tortura e com uma maioria clara dos norte-americanos concordando, a Avaaz lançou uma campanha de anúncios nos metrôs de Washington DC. Os anúncios foram pagos por milhares de doações de membros da Avaaz do mundo todo. Eles serviram como um lembrete aos congressistas dos Estados Unidos de que a tortura é ilegal, anti ética, assim como desculpa para o recrutamento para as redes do Osama Bin Laden e da Al Qaeda.

A nossa mensagem audaciosa foi coberta pela mídia internaional incluíndo o Washington Post e Der Spiegel, resonando também pela capital dos Estados Unidos, levando nosso chamado pelo fim do presídio de Guantanamo.

Protetora do planeta

#1 A Floresta Amazônica

Junho de 2009

No ápice de um momento de decisão em junho de 2009, membros da Avaaz no Brasil fizeram mais de 14.000 ligações e enviaram mais de 30.000 mensagens online ao presidente Lula em dois dias.

No último momento, a pressão pública reverteu a lei que daria boa parte da floresta Amazônica para a exploração de agronegócios (Junho 2009). Uma grande vitória para o Brasil, e parao planeta, já que a Amazônia consome enormesquantidades de gases estufa que vem aquecendo o planeta.

Ajudando pessoas

#5 Ciclone em Mianmar

Maio de 2009

Quando o ciclone Nargis passou em maio de 2008, matando 200.000 pessoas, a Avaaz entrou em contato com organizações de monges para saber como ajudar.

O chefe da Organização Internacional de Monges de Mianmar gravou um vídeo fazendo um apelo aos membros da Avaaz. Em apenas dez dias, mais de 250.000 pessoas, de 125 país, doaram US$2 milhões para apoiar os esforços humanitários dos monges -- que contornaram o bloqueio governamental a agências humanitárias, levando medicamentos, comida e outros suprimentos de emergência para serem distribuidos aos mais necessitados pela sociedade civil.

Como disse mais tarde Slate.com "enquanto o mundo se focava no bloqueio a ajuda humanitária do governo militar, os esforços humanitários eram feitos por cidadãos e monges de Mianmar, que impediram uma situação massiva de fome".

Ao doar diretamente para essas redes de organizações dentro do país, membros da Avaaz, que doaram mais do que a maioria dos países logo após o ciclone, tiveram um papel crucial no apoio a essas atividades.

"Enquanto o mundo tinha sua atenção na relutância da junta militar em relação à ajuda internacional, cidadãos e monges estavam ocupados com os esforços de ajuda humanitária que preveniram a fome."

Slate.com

Chamado pela verdade

#1 Gripe suína e fazendas industriais

Maio de 2009

No início do pânico do H1N1, um cientista da Organização Mundial da Saúde disse à Avaaz que eram necessárias pesquisas para descobrir o papel da criação industrial no desenvolvimento do vírus. O problema: o lobby industrial de carne havia bloqueado pesquisas durante anos. Avaaz entrou para a briga. Trouxemos um rebanho de 225 porcos feitos de papelão para a Organização Mundial de Saúde, representando as 225 mil assinaturas em uma petição pedindo uma pesquisa adequada.

Inicialmente cético, o diretor de Segurança Alimentar e Zoonoses da OMS, Dr. Jørgen Schlundt, mudou seu discurso e concordou que regulamentos globais eram essenciais. Este foi apenas o primeiro passo na luta por uma investigação adequada e regulação. A Avaaz vai continuar a dar o máximo para fortalecer os regulamentos. Clique aqui para ver fotos e ler a matéria.

Comunidade da esperança

#1 O Aperto de Mão Global

Maio de 2008

A Avaaz também organizou um aperto de mãos global, com mais de 2.000 membros da Avaaz com camisetas escrito "One China"(uma China), formando uma corrente de apertos de mão do Dalai lama até a embaixada chinesa em Londres -- um gesto de boa vontade tangível, que culminou em um protesto com um minuto de silêncio pelas vítimas do terremoto de Sichuan. Milhares de membros da avaaz se juntaram online para acender velas pelos sobreviventes do terremoto e doar para a obtenção de tendas e suprimentos de emergência.

RESPOSTA IMEDIATA

#1 Diálogo com o Dalai Lama

ABRIL DE 2008

Em face da ação violenta da China em resposta dos protestos no Tibet, em março de 2008, membros da Avaaz fizeram uma impressionante petição -- um pedido por diálogo significativo entre a China e o Dalai Lama que chegou a 1,5 milhões de assinatura em 3 semanas.

A petição foi entregue ao governo chinês em particular, e em público, em um dia de ação global com 84 cidades coordenadas com grupos de mobilização pelo Tibet. Seguindo esse pedido, a China reiniciou seu diálogo com o Dalai Lama -- devido à pressão internacional.

Dentro da China, no entanto, os protestos globais e atenção da mídia liberou uma resposta nacional da mídia e da população denunciando o movimento tibetano de tentativas "anti-chinesas" de afetar as olimpíadas. Em resposta, a Avaaz lançou uma campanha para "Salvar as Olimpíadas", arrecadando US$150.000 para financiar campanhas em mandarim em publicações de diáspora chinesa.

Política em rede

#1 Democracia para o Zimbábue

Março de 2008

Após eleições fraudulentas em 2008, a Avaaz lançou uma campanha para lutar por uma verdadeira democracia e pelos direitos humanos no Zimbabué. Mais de 150.000 membros da Avaaz pressionaram o presidente Sul-africano Thabo Mbeki, um aliado importante de Mugabe, para intervir e pressionar por reformas democráticas. Voamos uma bandeira 3.000 metros quadrados sobre a sede das Nações Unidas em Nova York, com a mensagem: "Hora de Agir Mbeki: Democracia para o Zimbábue"

Após meses de violência e agitação política, Mugabe assinou um acordo de partilha de poder com o líder da oposição, Morgan Tsvangirai. Os problemas do Zimbábue estão longe de acabar, mas a Avaaz não desistiu da luta por uma mudança democrática real.

Solidariedade e estratégia

#1 Revolta em Mianmar (Birmânia)

Outubro de 2007

Quando monges e manifestantes pró-democracia encheram as ruas de Mianmar em outubro de 2007 para protestar a junta militar, membros da Avaaz de todos os lugares do mundo surgiram em apoio a eles. Mais de 800.000 membros de países de todo mundo assinaram a petição pedindo para a China e o Conselho de Segurança da ONU se oporem à violenta repressão e ao apoio genuíno do diálogo para reconciliação. A mensagem foi entregue publicamente para o Primeiro Ministro britânico, Gordon Brown, pressionou oficiais da China, Singapura e UE pedindo mais firmeza nas relações com os militares de Mianmar e 50.000 pessoas se comprometeram em boicotar Chevron e Total Oil, pressionando-os a pararem de fazer negócios com a junta militar.

Parem o Confronto

#1 Paz no Oriente Médio

Março de 2007

Uma solução pacífica e justa que envolva dois estados para o conflito entre Israel e Palestina - e o respeito pelos direitos humanos de ambos os lados - tem o apoio da opinião pública e membros da Avaaz de todo o mundo. Em apoio a essa meta, a Avaaz fez um vídeo. Visto mais de 2.5 milhões de vezes em nove diferentes idiomas, Stop the Clash foi escolhido como o vídeo político do ano no YouTube em 2007 e televisionado em todo o mundo. Clique aqui para assistir ao filme.

Inovação de movimento

#1 Paz para os iraquianos, pelos iraquianos

Janeiro de 2007

A primeira campanha da Avaaz juntou 87.000 "manifestantes virtuais" contra a escalada militar no Iraque para um protesto pacífico, em Washington, DC . Avaaz, após consultar membros iraquianos e especialistas internacionais, desenvolveu um "novo" plano para acabar com a guerra: negociações com todas as partes, com fortes mediadores internacionais, e a retirada das tropas americanas em uma linha de tempo correspondente à vontade do povo iraquiano. O novo plano foi entregue em maio de 2007.

Também trabalhamos com sunitas, xiitas, curdos e parlamentares para construir uma campanha internacional de apoio ao direito do Iraque para determinar o futuro de suas próprias reservas de petróleo -- em vez de aceitar as ordens de governos de fora e de grandes empresas privadas.

Muitas campanhas da Avaaz são iniciadas por membros da nossa comunidade.. É fácil começar - clique para começar a sua agora e conquiste vitórias sobre qualquer assunto - seja ele local, nacional ou global.

Image